Dia da Consciência Negra

Entenda mais sobre a importância dessa data!

Apesar de ser uma data de abrangência nacional e feriado em grande parte das cidades, o dia 20 de novembro ainda é um total desconhecido para muitas pessoas que não compreendem sua verdadeira importância na luta por mais igualdade.

E você, sabe como surgiu o dia da consciência negra?

O dia da consciência negra foi idealizado em 1971 pelo professor, pesquisador e poeta gaúcho Oliveira Silveira. Nesse ano também houve a fundação do Grupo Palmares, o qual reunia pesquisadores e militantes da cultura negra.

Foi então que ficou decidido pela data 20 de novembro como forma de homenagear a morte de Zumbi, líder do maior Quilombo do Brasil Colonial – Palmares, assassinado pelas tropas coloniais em 1695. Em 2003 a data foi institucionalizada no calendário brasileiro e, finalmente, em 2011 se tornou uma data mais abrangente para o todo território nacional.

Por que essa data é tão importante?

No Brasil, de acordo com os dados do IBGE, mais de 70% da nossa população é negra. E infelizmente, são os que mais sofrem com a desigualdade e a violência. Para se ter uma ideia, segundo dados do Atlas da Violência de 2017, os negros são os que possuem mais chances de se tornarem vítimas de homicídios no Brasil.

É muito triste saber que, apesar da abolição da escravatura já ter acontecido há muitos anos, no Brasil os negros ainda sofrem muito com a violência, preconceito, falta de oportunidades e representatividade.

São muitos os levantamentos alarmantes sobre essa situação, indicando claramente que o caminho para superar o racismo e criarmos uma sociedade realmente justa e igualitária ainda é longo. 😢

Por isso, o dia da consciência negra é tão importante. Afinal, esse é o momento de mostrar a resistência histórica dos negros, bem como de refletirmos juntos a forma como a nossa sociedade tem tratado a questão do preconceito racial, pensando em maneiras de superar essas estatísticas e de melhorar a vida de todos.

O que tem mudado nos últimos anos?

Apesar de sentirmos que este é um problema que está muito enraizado na cultura brasileira (infelizmente!), já existem alguns avanços que sinalizam mudanças na mentalidade da população. Tais como: a alteração na tipificação de crime de racismo, que agora é considerado inafiançável, os sistemas de cotas nas universidades e, claro, a criação do Dia da Consciência Negra.

Porém, ainda existe um árduo caminho pela frente. E a principal maneira de reduzir todas as estatísticas que mostramos acima é por meio da educação, com debates e orientações desde a infância.

Grupos de mulheres negras têm feito um trabalho lindo de conscientização e de valorização das características físicas de sua etnia, com o compartilhamento de informação a respeito de como cuidar de sua beleza, ou seja, sobre quais produtos são adequados para seu tipo de pele e cabelo.

E nós esperamos poder contribuir ainda mais realçando a beleza negra e respeitando-a acima de tudo. É por isso, que seguiremos sempre atentos às tendências e as nossas consumidoras, para oferecer cada vez mais produtos pensados e desenvolvidos para cada tipo cabelo.

Amamos sua beleza seja ela qual for!


Você gostou deste conteúdo? Compartilhe este post com os seus amigos!

Espalhe Geral: